Navigation

Ataque terrorista mata 14 soldados na Tunísia

Soldados tunisianos montam guarda em 11 de junho de 2013 na região do Monte Chaambi afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. julho 2014 - 11:46
(AFP)

Pelo menos 14 soldados tunisianos morreram na quarta-feira em um ataque "terrorista" no monte Chaambi, perto da fronteira com a Argélia, onde o exército enfrenta insurgentes jihadistas, segundo um balanço atualizado.

"O balanço subiu a 14 mortos e 20 feridos", informou o ministério da Defesa.

De acordo com o governo, "dois grupos terroristas atacaram dois postos de vigilância do exército".

Este é o maior número de mortes em um ataque contra o exército desde a independência do país em 1956.

O ataque aconteceu na quarta-feira à noite, ao fim do jejum diário do Ramadã.

A ação ocorreu quase um ano depois de uma emboscada contra soldados, também durante o Ramadã no monte Chaambi, onde o exército tunisiano enfrenta desde dezembro de 2012 guerrilhas que estariam vinculadas à rede terrorista Al-Qaeda.

Oito soldados foram assassinados em 29 de julho de 2013 no ataque, que aconteceu poucos dias depois da morte do deputado de esquerda Mohamed Brahmi em Túnis.

Os atentados provocaram uma profunda crise política no país, que enfrenta grupos jihadistas desde la revolución de 2011.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.