Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vítimas da explosão de uma bomba em Quetta, no Paquistão, se recuperam em um hospital, em 12 de agosto de 2014.

(afp_tickers)

A polícia e o Exército paquistanês repeliram nesta sexta-feira um ataque de insurgentes equipados com armas automáticas, granadas e coletes com explosivos contra duas bases aéreas no sudoeste do Paquistão, anunciaram as autoridades, que divulgaram um balanço de oito mortos entre os criminosos.

Segundo os militares, os alvos dos insurgentes eram a base aérea de Samungli, utilizada pela Força Aérea paquistanesa, e a base aérea de Khalid, situada perto de Quetta, capital da província do Baluchistão, onde acontece uma rebelião separatista.

A distância entre as bases é de apenas 12 quilômetros entre elas.

"As operações nas duas bases terminaram. Oito insurgentes morreram, cinco em Samungli e três em Khalid", declarou à AFP o coronel Maqbool Ahmed.

O chefe de polícia provincial, Mohammad Amlish, disse à AFP que quatro policiais e três soldados foram feridos nos confrontos.

Os ataques foram reivindicados por um pequeno grupo vinculado ao Movimento dos Talibãs Paquistaneses (TTP), o Fedayin al-Islam.

"Cometemos os ataques em resposta à operação no Waziristão do Norte", afirmou Ghalib Mehsud, comandante da facção, que ameaça executar ataques mais importantes contra o governo e instalações militares.

O exército paquistanês iniciou uma vasta operação militar no Waziristão do Norte, epicentro do movimento jihadista na região, em resposta ao atentado de junho contra o aeroporto de Karachi (sul), o maior do país, que deixou 37 mortos.

AFP