Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ataques ocorrido em uma estrada próxima à cidade de Nasiriyah, Iraque

(afp_tickers)

Pelo menos 84 pessoas, entre elas iranianos, morreram nesta quinta-feira em um duplo ataque reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI) perto de Nasiriya, no sul do Iraque, segundo um novo balanço comunicado nesta sexta-feira.

"O balanço alcança agora 84 mortos, depois da descoberta de outros 10 corpos no local do ataque", informou à AFP Jasem al Jalidi, diretor-geral de Saúde da província de Zi Qar, uma região onde geralmente não se registram incidentes violentos.

"Há 93 feridos, muitos deles em estado grave", acrescentou.

Um assessor de Jalidi havia informado na quinta-feira à noite o balanço de 74 mortos, entre eles sete iranianos.

O ataque ocorrido perto da cidade de Nasiriya, a 300 quilômetros ao sul de Bagdá, é o mais violento desde que os extremistas tiveram que abandonar Mossul diante dos embates do exército, no começo de julho.

O ministério do Interior anunciou na quinta-feira à noite sobre a destituição o chefe dos serviços de inteligência da província de Zi Qar e sobre o início de uma investigação, em particular sobre a companhia de segurança que acompanhava os peregrinos nos ônibus alcançados pelas explosões.

O enviado da ONU no Iraque, Jan Kubis, "condenou com firmeza o duplo ataque de terroristas do EI".

O ataque aconteceu por volta do meio-dia perto de Nasiriya. Vários homens armados atiraram contra um restaurante, antes de subir em um carro e se explodir em um posto de controle, afirmou uma fonte dos serviços de segurança.

Segundo fontes policiais, os agressores se disfarçaram de membros da Hashed al Shaabi, uma aliança paramilitar de maioria xiita que lutou junto com o exército e a polícia contra o grupo EI no norte do Iraque.

O atentado aconteceu em uma autopista frequentada por peregrinos e visitantes do vizinho Irã, que leva a cidades santas xiitas de Nayaf e Kerbala, mais ao norte.

O Estado Islâmico reivindicou o ataque em um comunicado divulgado por seu órgão de propaganda Amaq.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP