Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente catalão, Carles Puigdemont

(afp_tickers)

Ativistas pró-independentistas da região francesa dos Pirineus orientais anunciaram, nesta segunda-feira (23), oferecer a sua "hospitalidade ao presidente (catalão) Carles Puigdemont para um governo catalão em exílio em Perpignan", no sul da França.

"Consideramos que a Europa não cumpre o seu papel", declarou Jaume Roure, presidente da Unidade Catalã, associada ao Comitê para a Autodeterminação da Catalunha Norte.

Para o ativista, a situação política se parece com a de 1939, quando "500.000 refugiados [...] cruzaram a fronteira".

"Como a tempestade se aproxima, propomos que as pessoas acessem a nossa página na internet para ver as possibilidades de acolhida e alojamento do governo catalão e das pessoas que possam ser obrigadas a partir", detalharam os ativistas franceses em um comunicado.

Na Catalunha norte, a parte francesa dos Pirineus, o sentimento de solidariedade com os independentistas catalães vem ganhando força.

Várias manifestações têm sido organizadas em Perpignan à medida que as coisas acontecem em relação a Catalunha, no noroeste espanhol. Na última terça-feira, cerca de 500 pessoas protestaram contra a prisão de dois líderes pró-independência.

A região dos Pirineus orientais fez parte da Catalunha por muito tempo, mas a partir da segunda metade do século XVII passou a ser governada pela França. No fim dos anos 1930, inúmeros republicanos catalães que fugiam da ditadura de Franco se refugiaram nesse local.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP