Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Milhares de pessoas se reuniram neste sábado diante da Casa Branca, em Washington, em apoio aos palestinos de Gaza, exigindo o fim da ofensiva militar israelense, constatou um jornalista da AFP.

(afp_tickers)

Milhares de pessoas se reuniram neste sábado diante da Casa Branca, em Washington, em apoio aos palestinos de Gaza, exigindo o fim da ofensiva militar israelense, constatou um jornalista da AFP.

Exibindo cartazes pedindo o "fim da ajuda dos EUA ao Estado judeu" ou "Punição a Israel, um estado terrorista", os manifestantes ocuparam pacificamente boa parte da Lafayette Square, situada do outro lado da residência presidencial.

Um cartaz mostrava uma suástica e outro indicava o "gueto de Gaza", comparando o território palestino com o Gueto de Varsóvia na II Guerra Mundial.

Um pequeno grupo de judeus ortodoxos, protegido pela polícia, também realizou um ato no mesmo local, trocando insultos com os manifestantes pró-palestinos, mas sem descambar para a violência.

Essa manifestação pela população de Gaza é a maior já realizada em frente à Casa Branca desde o início da ofensiva israelense contra o grupo radical islâmico Hamas, que já custou a vida de 1.810 palestinos, a maioria civis. Do lado israelense, 63 soldados e três civis morreram.

Neste sábado, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que o Exército vai manter suas operações contra o Hamas na Faixa de Gaza "pelo tempo que for necessário".

Logo depois, um porta-voz do Hamas anunciou que o grupo seguirá lutando contra Israel na Faixa de Gaza até "cumprir seus objetivos".

AFP