Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O ator Kevin Spacey

(afp_tickers)

O ator mexicano Roberto Cavazos se uniu às acusações de agressão sexual contra o astro americano Kevin Spacey, ao afirmar que teve "encontros desagradáveis" com o outrora aclamado protagonista da série "House of Cards".

Cavazos, um ator formado na Grã-Bretanha e com experiência no cinema, teatro e televisão, escreveu no Facebook que os encontros com Spacey "estiveram no limite do que poderia ser chamado de assédio".

"Se eu fosse uma mulher, provavelmente não teria hesitado em identificá-lo como tal, completou Cavazos em seu posto, sem revelar a data de tais encontros.

Spacey, duas vezes vencedor do Oscar e aclamado por sua interpretação do impiedoso presidente Francis Underwood em "House of Cards", foi acusado pelo ator Anthony Rapp de assédio quando este tinha apenas 14 anos, há três décadas. Spacey pediu desculpas em uma mensagem no Twitter e se declarou homossexual.

Após a publicação de sua mensagem, Cavazos escreveu no Twitter que não deseja falar mais com a imprensa sobre o tema.

"Está tudo ali no que eu escrevi. Nada mais a contar", respondeu a um pedido de um jornalista por mais detalhes.

O ator mexicano explicou que encontrou com Spacey em Londres quando o americano era diretor artístico do teatro Old Vic.

Spacey permaneceu no cargo entre 2004 e 2015. De acordo com o currículo de Cabazos, o mexicano trabalhou com a companhia teatral em 2008, 2010 e 2011.

"Parece que a única exigência era ser um homem com menos de 30 anos para que o sr. Spacey sentisse que estava livre para nos tocar", escreveu no Facebook.

"Era tão comum que até virou uma piada (de muito mau gosto)", completou.

O mexicano indicou que várias pessoas contaram a "mesma história" a respeito das tentativas do americano de aproximar-se de integrantes da companhia teatral.

Cavazos acredita que muitas pessoas devem contar suas histórias nos próximos dias e semanas e afirmou que não ficaria surpreso se as denúncias alcançarem números similares aos do produtor americano Harvey Weinstein, envolvido em um grande escândalo sexual.

Weinstein foi acusado por quase 60 mulheres por diversas agressões e assédio, além de estupro. O jornal New York Times publicou na segunda-feira novas revelações de ataques durante a década de 70.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP