Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Annabella Sciorra

(afp_tickers)

A atriz americana Annabella Sciorra se somou ao grupo de mulheres que denunciaram publicamente o poderoso produtor de cinema Harvey Weinstein por sua conduta sexual, ao acusá-lo de tê-la estuprado.

Os fatos ocorreram no início da década de 1990, depois de uma festa em Nova York, explicou a intérprete indicada a um Emmy por seu papel em "Família Soprano", falando à revista The New Yorker.

O assédio sexual durou, segundo ela, vários anos, um trauma que a faz dormir com um bastão de beisebol perto da cama.

Minutos depois de tê-la deixado em sua casa, Weinstein bateu na porta, entrou "como se fosse dono do lugar e começou a desabotoar a camisa", relatou.

Sciorra, de 57 anos, pediu reiteradas vez que ele fosse embora. "Mas ele me jogou na cama e subiu em cima de mim", contou ainda.

A pesar de resistir ao avanço, a atriz disse que o magnata cinematográfico a estuprou.

"Tentei me defender, mas não tinha forças", explicou.

"Nas noites seguintes não conseguia dormir. Coloquei móveis contra a porta, como nos filmes (...) Estava muito envergonhada", admitiu.

Sciorra caiu em depressão e deixou de trabalhar por vários anos. Decidiu não tornar o estupro público por ter medo de represálias. Quando retomou sua carreira, Weinstein voltou a assediá-la por vários anos.

Seu testemunho se soma ao de mais de 50 mulheres - entre elas Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie - que acusaram publicamente desde o início de outubro o poderoso produtor de assédio, agressão ou estupro.

A atriz Daryl Hannah também contou ao New Yorker ter sido assediada pelo empresário no início dos anos 2000.

O magnata se meteu em seu quarto de hotel como "um touro furioso" e depois perguntou se podia tocar em seus seios. A atriz afirma que, depois de negar isso, sua carreira sofreu "repercussões imediatas".

O produtor de 65 anos renunciou a sua posição no estúdio The Weinstein Company depois que esse escândalo explodiu, mas nega qualquer acusação.

Weinstein está sendo investigado pela justiça dos Estados Unidos e do Reino Unido.

Na véspera, Rose McGowan, uma das primeiras atrizes a acusar Weinstein de estupro, denunciou o que chamou de uma cultura generalizada de má conduta sexual em Hollywood, e exortou as mulheres a lutarem contra isso.

"Eu guardei silêncio durante 20 anos. 'Me chamaram de puta, me envergonharam, me assediaram, me caluniaram. E quer saber? Sou só uma pessoa como vocês", disse McGowan, de 44 anos.

Foram os primeiros comentários públicos da atriz desde a divulgação de suas acusações contra Weinstein.

McGowan fez alusão também a declarações de 2005 do presidente americano, Donald Trump, nas quais ele afirmou que podia apertar os genitais de uma mulher e fazer o que quisesse com ela simplesmente porque era famoso.

"Somos puras. Somos fortes. Somos corajosas e vamos lutar", disse McGowan, que levantou seu punho esquerdo fechado enquanto era ovacionada de pé pela multidão presente na Convenção da Mulher, em Detroit.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP