Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(4 set) Simpatizantes de López manifestam-se em frente à Suprema Corte, em Caracas

(afp_tickers)

A audiência final do julgamento do opositor radical venezuelano Leopoldo López, acusado de instigar a violência nos protestos de 2014 contra o governo, foi adiada para a próxima semana - informou a defesa do político nesta sexta-feira.

"Advogados informam que juiz suspende audiência de @LeopoldoLopez e estudantes para próxima quinta 10/09", informou o partido de López, Voluntad Popular, em sua conta no Twitter @VoluntadPopular.

López, um economista de 44 anos com mestrado em Harvard, lidera uma estratégia política conhecida como "A Saída" e é acusado pelo governo socialista de Nicolas Maduro de incitar a violência durante as manifestações que entre fevereiro e junho do ano passado eles deixaram 43 mortos.

Em junho do ano passado, os tribunais imputaram López sob a acusação de incitação pública, danos à propriedade em grau determinador, incêndio em grau determinador e formação de quadrilha.

López foi detido na prisão militar de Ramo Verde, nos arredores de Caracas, desde que se entregou às autoridades em 18 de fevereiro do ano passado.

Juan Carlos Gutierrez, advogado de defesa de López, disse à AFP na quinta-feira que, se o opositor for considerado culpado, a sentença não pode exceder 12 anos de prisão porque os promotores não apresentaram agravantes no caso.

Em maio passado, López fez uma greve de fome de um mês para pedir, entre outras coisas, que a data para as eleições parlamentares fosse definida - convocadas depois para 6 de dezembro.

AFP