AFP

Aung Suu Kyi discursa em Naypyidaw

(afp_tickers)

A líder birmanesa Aung San Suu Kyi considerou que seu país está pronto para discutir a construção de um Estado federal, ao abrir, nesta quarta-feira, uma nova série de negociações de paz para acabar com os conflitos civis.

"Nossos esforços coletivos começam a dar frutos", disse, embora nos últimos meses tenha havido um ressurgimento das tensões em muitas regiões de fronteira.

"Chegamos a um estágio em que podemos discutir os princípios federais, que são tão importantes para o nosso país", afirmou para centenas de representantes de diferentes grupos étnicos, reunidos durante cinco dias em Naypyidaw, a capital birmanesa.

Desde sua independência em 1948, o país onde vivem mais de 130 etnias diferentes, enfrenta revoltas de grupos exigindo mais autonomia.

Depois de décadas de combates e complexos debates, não há um projeto claro de Estado federal. No entanto, a ascensão histórica ao poder do partido de Aung San Suu Kyi, há um pouco mais de um ano, levanta grandes esperanças.

Os diferentes grupos evocaram pela primeira vez esta semana a possibilidade dos estados elaborarem sua própria Constituição.

"Esta é uma etapa histórica na história pós-colonial de Mianmar", considerou Angshuman Choudhury, especialista neste país para o Instituto da Paz e Estudos sobre Conflitos, com sede em Delhi.

AFP

 AFP