Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O EOS Space Systems Satellite Laser Ranging Facility rastreia resíduos espaciais no Mount Stromlo, perto de Canberra

(afp_tickers)

A Austrália se comprometeu, nesta segunda-feira, a criar uma agência espacial nacional, conforme busca ganhar dinheiro com o lucrativo setor de astronáutica.

O anúncio foi feito em uma conferência espacial de uma semana em Adelaide, com a presença dos principais cientistas e especialistas do mundo, incluindo o presidente da SpaceX, Elon Musk.

Isso põe a Austrália - já significativamente envolvida em atividades espaciais nacionais e internacionais - em sintonia com a maioria dos outros países desenvolvidos, que já possuem agências dedicadas a ajudar a coordenar a indústria e a moldar o desenvolvimento.

"A indústria espacial global está crescendo rapidamente, e é crucial que a Austrália faça parte desse crescimento", afirmou a ministra da Ciência, Michaelia Cash, em comunicado.

"Uma agência espacial nacional assegurará que tenhamos um plano estratégico a longo prazo que apoie o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias espaciais e o crescimento da nossa indústria espacial doméstica".

De acordo com o governo, o setor espacial global - abrangendo inovação, defesa e telecomunicações - cresceu 10% por ano desde o final da década de 1990, gerando receitas anuais de US$ 323 bilhões.

Lee Spitler, do departamento de astronomia da Universidade Macquarie em Sydney, disse que a indústria espacial australiana atualmente opera "como um movimento comunitário através de um pequeno número de empresas, grupos universitários e o setor de defesa".

"Isso ajudará a trazer para a linha de frente todo o excelente trabalho que tem sido feito na Austrália no setor espacial, e a aumentar o potencial para o nosso país desempenhar um papel fundamental na cena espacial internacional no futuro", disse Spitler.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP