Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um carro da polícia é visto em Puerto Vallarta, Jalisco, no dia 18 de agosto de 2016

(afp_tickers)

A Procuradoria Geral do México (promotoria) anunciou nesta quinta-feira que assumirá a investigação do sequestro de Jesús Alfredo Guzmán, filho do famoso traficante Joaquín "El Chapo" Guzmán.

A Promotoria Geral do Estado de Jalisco (oeste) entregará nesta quinta-feira à Procuradoria "os expedientes da investigação, como evidências e veículos assegurados, telefones celulares e demais objetos que fazem parte da investigação", indicou em um comunicado.

A medida se dá em virtude de diversos delitos de foro federal terem sido cometidos.

O secretário-geral do governo de Jalisco, Roberto López Lara, informou que policiais municipais de Puerto Vallarta, onde foi sequestrado o filho de El Chapo na madrugada de segunda-feira, são investigados por sua suposta participação no sequestro.

"Estamos (revisando) dentro da pasta de investigação, quem estava de guarda sobre a avenida, todo esse tipo de informação", indicou, acrescentando que a Promotoria Geral de Jalisco entregará os documentos dos interrogatórios à Procuradoria.

Jesús Alfredo Guzmán foi sequestrado junto com outros cinco homens em um exclusivo restaurante do turístico balneário de Puerto Vallarta, em um estado convertido no reduto do sanguinário cartel Jalisco Nova Geração, identificado como suposto responsável pelo sequestro.

Os governadores de Jalisco e de Sinaloa (noroeste), onde opera a organização de "El Chapo" Guzmán, advertiram nesta semana sobre potenciais vinganças; enquanto o pequeno estado de Nayarit, localizado entre os anteriores e, por enquanto, território neutro, reforçou sua segurança.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP