Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Exemplar da vaquita, uma espécie de boto mexicano

(afp_tickers)

Autoridades de pesca no México boicotaram os esforços para preservar a vaquita marinha e são "cúmplices" da sua eventual extinção, denunciaram nesta segunda-feira organizações ambientalistas, que qualificaram de tardias e estéreis as medidas do governo para resgatar o cetáceo.

Este cetáceo, o menor do mundo, é endêmico da região do Alto Golfo da Califórnia, no noroeste do México, e está à beira da extinção, com menos de 30 exemplares vivos, devido principalmente à pesca indiscriminada da totoaba, um peixe cuja bexiga natatória é cobiçada no mercado asiático.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, fez do resgate da vaquita marinha uma causa muito divulgada do seu governo, restringindo a pesca na zona que a espécie habita e implementando um complexo plano para trasladar os exemplares sobreviventes a um refúgio onde possam se reproduzir.

Mas especialistas e ativistas acusam a Comissão Nacional de Aquicultura e Pesca (Conapesca), órgão responsável pelo setor no México, de violar leis e ordens de proteção à vaquita, permitindo o declínio acelerado da sua população nos últimos cinco anos.

"A Conapesca foi um cúmplice dentro do governo para que a vaquita hoje em dia esteja em uma extinção que é praticamente iminente", disse Miguel Rivas, representante do Greenpeace México em uma coletiva de imprensa.

Esta e outras ONGs disseram que o organismo não realizou trabalhos de inspeção e vigilância de espécies protegidas, algumas delas críticas para a proteção da vaquita marinha, além de ter autorizado aumentos de cotas de captura e autorizações para embarcações em zonas de risco para sua conservação.

Além disso, consideraram um "fracasso" suas tentativas de impulsar artes de pesca alternativas que não prejudiquem a vaquita marinha, atrasando as autorizações e permitindo inclusive o uso de redes de pesca de camarão, prejudiciais para o cetáceo.

Representantes da Conapesca não estavam disponíveis imediatamente para comentar o caso.

As organizações pediram ao governo que detenha uma "extinção anunciada" da vaquita, exigindo a destituição das autoridades pesqueiras, assim como a volta deste setor ao âmbito do Ministério do Meio Ambiente, a fim de desenvolver "uma política pública de pesca sustentável".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP