Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O homem do próximo verão vai usar um estilo despreocupado de fim de semana, segundo o desfile do "guru" Demna Gvasalia para Balenciaga

(afp_tickers)

O homem do próximo verão vai usar um estilo despreocupado de fim de semana, segundo o desfile do "guru" Demna Gvasalia para Balenciaga nessa quarta-feira (21) em Paris, que parecia evocar a crise de imigração aos gritos de "Europa!".

No bucólico Parc de Boulogne, no oeste de Paris, a Balenciaga deu a largada para a Semana de Moda Masculina com referências aos anos 1980 e marcada por moletons, jaquetas impermeáveis e jeans com cara de usado.

São "jovens pais que passeiam com seus filhos no fim de semana", diz a marca fundada há um século pelo espanhol Cristóbal Balenciaga.

"Estão relaxados, observados de perto em seu momento de máxima felicidade", completa a marca.

Além dessa imagem idílica - e prática, com calças que se transformam em shorts, bermudas e calças até os tornozelos -, o diretor artístico Demna Gvasalia pareceu se lembrar da crise de imigração. Ponchos transparentes impermeáveis e moletons impressos com a palavra "Europa!" e com o slogan "The power of dreams" (O Poder dos Sonhos) evocam as roupas usadas pelos imigrantes que chegam ao continente.

- Bolsa de supermercado feita de pele

As jaquetas esportivas de cores vivas, extragrandes, combinadas com capuz, e jaquetas quebra-vento estampadas com as palavras "Europe Europe Europe" também se destacaram no desfile, que abriu espaço para as crianças, desfilando sozinhas, ou nos braços dos "pais", reforçando a imagem familiar.

Gvasalia, ele mesmo um imigrante que se refugiou na Alemanha devido à guerra na Geórgia em 1993, colocou nas mãos desses homens bolsas inspiradas nas sacolas de supermercado, mas feitas de pele. Ela aparece também em jaquetas amplas e calças confeccionadas misturando pele e algodão, ou jeans.

No sentido contrário ao homem imaginado por Gvasalia, estava o conceito eclético da marca japonesa Facetasm, que brincou com formas, tecidos e estilos. Kilts, meias esportivas compridas, jaquetas com detalhes nas costas, como gabardinas, e na frente, como jaquetas bombers: a marca parece reinvidicar abertamente o caos, como um "brainstorming" antes de encontrar sua identidade.

- Uma flor na boca

O desfile da Facetasm foi misto. As mulheres desfilaram com uma espécie de flor desenhada com caneta preta ao redor da boca que, vista de longe, parecia-se com um bigode. Um homem e uma mulher de cabelos grisalhos, coisa pouco habitual nas passarelas mundiais, também desfilaram para marca.

Tops, estampas de coração e jaquetas com zíperes na altura dos ombros também se destacaram na passarela da Facetasm.

Esses detalhes também apareceram no desfile dos jovens irmãos franceses Valentin e Florentin Glemarec, que desfilaram pela segunda vez no programa oficial do evento com sua marca Icosae.

- Destruidor de corações

A cor preta voltou a marcar os looks, combinada com peças em rosa e com a palavra "Heartbreaker" (destruidor de corações) estampada.

Com 52 desfiles, a Semana de Moda Masculina acontece até domingo (25). Grandes marcas, como Louis Vuitton, Dior, Hermès e Berluti, vão apresentar suas coleções junto com cinco novos convidados: o taiwanês Angus Chiang; os curdo-iraquianos emigrados para a Suécia Dilan e Lezan Lurr, com sua marca Namacheko; o israelense Hed Mayner; a marca britânica Alexander McQueen; e o americano Henry Alexander Levy, com sua marca Enfants Riches Deprimés.

A Semana de Moda de Paris organiza cerca de 300 desfiles anuais, incluindo o prêt-à-porter feminino e a Alta-Costura.

AFP