Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Barco da Guarda Costeira americana, no dia 13 de novembro de 2016

(afp_tickers)

Cerca de 20 cubanos que deixaram Havana em uma precária embarcação se instalaram em um farol, nesta sexta-feira, de frente para os keys da Flórida, enquanto a Guarda Costeira americana avalia se estavam, ou não, em terra firme, no momento em que foram encontrados.

Depois de terem resistido a descer do farol de manhã, no cair da tarde, alguns deles começavam a se entregar às autoridades, que analisam se eles receberão asilo.

Como o farol fica nas águas de frente para os keys da Flórida, não está claro se os cubanos tocaram em terra, ou se continuavam em mar aberto no momento de subir a torre. Essa diferença pode significar sua deportação para o país natal, ou sua permanência nos Estados Unidos.

Segundo o noticiário local 7 News, da WSVN, a Guarda Costeira ainda deve determinar se o farol American Shoal fica em terra firme. Essa torre de pouco mais de 30 metros de altura está voltada para o Sugarloaf Key, 30 km ao nordeste de Key West e 185 km em linha reta de Havana.

A assessoria da Guarda Costeira e do condado de Monroe não retornou o contato feito pela AFP.

Imagens de vídeo mostravam um grupo de homens negociando sob o sol em uma plataforma nesse farol de ferro vermelho, construído no final do século XIX.

O governo dos Estados Unidos concede benefícios migratórios aos cubanos que conseguirem chegar a solo americano, mas deporta aqueles que forem interceptados no mar. Essa política é conhecida como "pés secos, pés molhados".

AFP