Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A ex-secretária de Estado americana Hillary Clinton

(afp_tickers)

Hillary Clinton pode ter se distanciado da política externa de Barack Obama, mas o presidente não parece ter levado as críticas para o lado pessoal: nesta quarta-feira, eles irão se encontrar durante um evento em Martha's Vineyard, uma ilha exclusiva na costa de Massachusetts.

Barack e Michelle Obama, acompanhados de suas duas filhas, começaram no último sábado duas semanas de férias nesta ilha magnífica, para onde se dirigem no verão desde 2009. Hillary Clinton, que parece decidida a se lançar à corrida pela Casa Branca em 2016, estará ali para uma sessão de autógrafos de seu último livro, "Hard Choices" (Decisões difíceis).

"O presidente e a primeira-dama aceitaram um convite para a casa de Vernon Jordan (ex-assessor de Bill Clinton) na noite de quarta-feira. Estão encantados em ir e em se reencontrar ali com a ex-secretária de Estado (Hillary) Clinton", declarou à AFP um funcionário de alto escalão da Casa Branca.

Hillary, que deixou o departamento de Estado no fim de 2011, após quatro anos na liderança da diplomacia americana, formulou durante uma entrevista ao semanário The Atlantic publicada há dois dias suas primeiras críticas ao presidente.

Ela o criticou, embora sem citar seu nome explicitamente, por não ter ajudado militarmente a oposição síria, o que deixou um vazio ocupado agora pelos jihadistas.

Também ironizou sobre a ausência de uma verdadeira doutrina de política internacional, em referência a uma frase apresentada com frequência como um credo pela administração Obama em matéria de política externa: "Não façam besteiras".

"As grandes nações precisam de princípios norteadores; 'não façam besteiras' não é um princípio norteador", afirmou Clinton, que perdeu as primárias democratas para Barack Obama em 2008.

AFP