AFP

(Arquivo) O ministro do Interior alemão, Thomas de Maiziere

(afp_tickers)

A Alemanha anunciou nesta quarta-feira sua intenção de rever dezenas de milhares de autorizações de residência concedidas a requerentes de asilo, depois que um soldado alemão, suspeito de preparar um ataque, conseguiu se passar por refugiado sírio.

Esses controles, que vão começar no verão (boreal), afetarão até 100.000 pedidos apresentados nos últimos dois anos pelos requerentes de asilo com entre 18 e 40 anos provenientes de uma dezena de países, indicou à imprensa o ministro do Interior, Thomas de Maizière.

A operação é resultado do escândalo que atingiu recentemente o Exército alemão: um oficial, Franco Albrecht, suspeito de preparar ataques a personalidades da esquerda política e estrangeiros, conseguiu se passar durante meses por um refugiado sírio, apesar de não falar uma palavra de árabe.

Segundo a investigação, a ideia de Albrecht e seus cúmplices era cometer ataques e fazer com que as suspeitas recaíssem sobre os requerentes de asilo na Alemanha.

O Escritório Federal para os Migrantes e os Refugiados, responsável por interrogar os requerentes de asilo e tomar uma decisão sobre o seu pedido, deixou-se enganar pelo militar de 28 anos e concedeu uma autorização de residência válida por um ano e uma ajuda mensal de 409 euros.

Albrecht, que falava um pouco de francês, apresentou-se sob a identidade de David Benjamin, e assegurou pertencer a uma minoria francesa na Síria.

Esta história reacendeu o debate sobre a o acolhimento de mais de um milhão de migrantes na Alemanha entre 2015 e 2016.

AFP

 AFP