O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) se tornou, nesta sexta-feiro (15), o primeiro organismo financeiro multilateral a reconhecer oficialmente um enviado de Juan Guaidó, líder opositor reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países.

Guaidó, que quer tirar do poder o presidente Nicolás Maduro há quase dois meses, nomeou no começo de março Ricardo Hausmann, respeitado economista de Harvard radicado nos Estados Unidos, como representante da Venezuela no BID.

O organismo, principal fonte de financiamento para projetos de desenvolvimento na América Latina e no Caribe, aprovou a nomeação nesta sexta, segundo comunicado enviado à AFP.

"Em uma votação separada, os governadores da Corporação Interamericana de Investimentos (conhecida como IDB Invest), o braço de empréstimos do setor privado do Grupo BID, também aprovaram a nomeação de Hausmann", informou o texto.

A nomeação de Hausmann é efetiva "de imediato", disse a instituição.

Um número suficiente de governadores já aprovou a nomeação, embora a votação eletrônico não seja concluída oficialmente até as 18h30 (22h30 no horário de Brasília), informou o banco.

No BID, as decisões devem obter mais de 50% dos votos. Washington tem 30% do poder de voto no conselho do BID, em comparação com 50% combinados para membros da América Latina e do Caribe, dos quais Argentina e Brasil têm 11% cada.

O delegado dos Estados Unidos para a crise venezuelana, Eliott Abrams, parabenizou Hausmann.

"Isso faz parte da tomada de controle sobre os ativos estrangeiros da Venezuela por parte do governo de Guaidó", disse à imprensa.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.