AFP

A obra "Fausto" da artista alemã Anne Imhof, em Veneza

(afp_tickers)

A renomada artista contemporânea alemã Anne Imhof foi premiada neste sábado com o Leão de Ouro da Bienal de Arte de Veneza por sua impactante instalação "Faust" sobre o capitalismo, a sexualidade e a repressão.

O júri do célebre evento de arte contemporânea, que abre neste sábado suas portas ao público, presidido pelo espanhol Manuel Borja-Villel, elogiou a obra de um dos maiores talentos do Velho Continente por sua "poderosa e inquietante instalação, que traz à tona muitos questionamentos sobre o nosso tempo".

A instalação, com artistas vestidos de preto sob jaulas simbólicas de vidro nos quais se retorcem, e que obriga os visitantes a caminhar sobre eles em plataformas transparentes de acrílico, deixa os visitantes impressionados.

Inspirada na obra Fausto, de Goethe, os artistas se arrastam sob o vidro enquanto realizam performances chocantes contra o poder, a sexualidade e a obsessão pela tecnologia diante de simbólicos cães da raça doberman, que ficam de guarda.

Artistas de diferentes gerações, muitas mulheres e numerosos jovens, alguns desconhecidos, outros que peregrinaram por vários continentes e culturas, são os convidados de honra da nova edição da Bienal de Arte, que ficará aberta até o dia 26 de novembro.

A Bienal conta também com o trabalho do artista brasileiro Ernesto Neto. Em sua obra, o visitante da Bienal é convidado a recuperar a espiritualidade por meio de um espaço de meditação, uma zona de encontro, que se inspira no lugar onde o povo Huni Kuin se reúne para conversar e pensar, utilizando uma enorme malha tecida por crochê.

AFP

 AFP