AFP

(Arquivo) O bilionário americano Michael Bloomberg

(afp_tickers)

O bilionário americano Michael Bloomberg assegurou nesta sexta-feira, durante um encontro inesperado em Paris com o presidente francês, Emmanuel Macron, que as cidades, empresas e cidadãos do seu país "cumprirão" os compromissos sobre o clima, apesar da retirada de Washington do Acordo de Paris.

"Não permitiremos que Washington se interponha no nosso caminho, é a mensagem que os cidadãos, as empresas e os estados federados mandam esta noite", declarou Bloomberg, após um encontro com Macron e a prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

Apesar da intenção do presidente Donald Trump de renunciar ao acordo climático, os "Estados Unidos cumprirão os compromissos assumidos", insistiu o ex-prefeito de Nova York, atual enviado especial das Nações Unidas para as cidades e as mudanças climáticas.

Nos Estados Unidos, disse, "os níveis de emissões [de gases de efeito estufa] dependem muito mais dos cidadãos e das cidades do que do Governo federal".

"Houve uma tomada de consciência mundial e nada a deterá", afirmou Macron, que criticou em um discurso na noite de quinta-feira a decisão de Trump em relação ao Acordo de Paris, que qualificou de "erro para o futuro do seu país" e "para o futuro do planeta".

"O Acordo de Paris é irreversível e será posto em prática", reiterou o presidente francês nesta sexta-feira.

Na véspera, Bloomberg prometeu doar 15 milhões de dólares para apoiar os esforços das Nações Unidas em sua luta contra a mudança climática, após o anúncio de Trump.

O objetivo é apoiar as operações do secretário da Convenção do Clima da ONU, "incluindo aquelas para ajudar os países a alcançar os seus compromissos em virtude do Acordo sobre o clima de Paris de 2015", comunicou a fundação do ex-prefeito de Nova York, Bloomberg Philantropies, na quinta-feira à noite.

O bilionário de 75 anos é considerado pela revista Forbes a oitava pessoa mais rica do mundo.

AFP

 AFP