Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Turistas se divertem em uma boate de Palma de Maiorca

(afp_tickers)

Uma boate de Palma de Maiorca, Espanha, foi punida com um ano de fechamento pela prática de felação coletiva, cuja divulgação em vídeo nas redes sociais provocou um escândalo na Espanha.

O proprietário da "Playhouse", na praia de Magaluf, recebeu uma punição de 12 meses de fechamento e multa de 55.000 euros, informou nesta sexta-feira a prefeitura de Calvia, município ao qual pertence este grande centro turístico que atrai todos os anos milhares de jovens britânicos, irlandeses ou escandinavos.

Também foram punidos os funcionários da empresa Carnage Magaluf, organizadora de festas "pub crawling": uma rodada noturna de bares e discotecas com bebidas liberadas.

A punição foi decidida após uma investigação detalhada da polícia local, explicou a prefeitura em um comunicado.

Aparentemente filmado com um telefone celular, o vídeo mostra, em um ambiente com música em alto volume, uma jovem loira com camisa branca e short rosa realizando rápidas felações em um grupo de homens situados de pé ao seu redor.

"Depois que o citado vídeo apareceu nos meios de comunicação, o prefeito, Manuel Onieva, além de mostrar sua mais absoluta rejeição a este tipo de prática, já anunciou uma investigação profunda", lembrou a prefeitura.

Estas imagens provocaram um escândalo na Espanha.

O jornal local Mallorca Diario denunciou a organização de competições nas quais as jovens "devem fazer um número determinado de felações nos homens presentes no bar/boate em menos tempo".

"A vencedora consegue consumação livre no local durante todo o tempo em que suas férias durarem", afirmava.

Várias regiões espanholas lutam para controlar o turismo de baixo custo que algumas agências de viagem europeias oferecem aos jovens com fórmulas "all-inclusive" que envolvem bebidas alcoólicas à vontade.

AFP