Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem de vídeo divulgado pelo Boko Haram mostra o líder do grupo extremista, Abubakar Shekau (C)

(afp_tickers)

O líder do grupo armado islamita nigeriano Boko Haram expressou apoio ao grupo jihadista sunita Estado Islâmico (EI), que controla várias regiões da Síria e do Iraque, assim como à Al-Qaeda e aos talibãs afegãos, em um vídeo no qual também reivindica novos ataques.

"Meus irmãos (...) que Alá os proteja", afirma Abubakar Shekau no vídeo, obtido pela AFP, em uma mensagem aos líderes do EI, Abu Bakr al-Bagdadi, da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, e dos talibãs afegãos, o mulá Omar.

Nos 16 minutos do vídeo, o líder do grupo islamita nigeriano também reivindica a autoria dos ataques cometidos na capital da Nigéria, Abuja, e em Lagos no dia 25 de junho.

"Nós detonamos a bomba na suja Abuja", disse Shekau, em referência a um ataque contra um centro comercial popular, que matou 22 pessoas.

Outra explosão aconteceu horas mais tarde em Lagos, sem provocar vítimas, segundo o governo, que atribuiu o incidente a um vazamento de gás. Mas uma reportagem da AFP revelou que ação foi um ataque deliberado com bombas.

"Em Lagos explodiu uma bomba", declarou Shekau no vídeo.

O líder do Boko Haram também faz piada com a campanha 'Bring Back Our Girls' (Devolvam Nossas Garotas), criada depois do sequestro de mais de 200 adolescentes em 14 de abril pelos islamitas na cidade de Chibok (noreste).

AFP