Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

No período anterior, entre 23 de abril e 23 de maio, morreram 225 civis

(afp_tickers)

Os ataques da coalizão internacional antijihadista liderada pelos Estados Unidos na Síria mataram 472 civis em um mês, o dobro do registrado nos 30 dias anteriores informou nesta sexta-feira a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

As vítimas, incluindo 137 crianças, morreram entre 23 de maio e 23 de junho, o período com o maior número de falecimentos de civis desde setembro de 2014, quando começaram as operações da coalizão.

No período anterior, entre 23 de abril e 23 de maio, morreram 225 civis.

A maioria das mortes aconteceu em ataques aéreos contra as províncias de Raqa e Deir Ezzor, respectivamente nas regiões norte e leste da Síria, segundo o OSDH.

O diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, afirmou à AFP que o total de civis mortos pela coalizão na Síria alcança 1.953, incluindo 456 crianças e 333 mulheres.

A coalizão fornece apoio aéreo às Forças Democráticas Sírias (FDS) em sua ofensiva para retomar Raqa, reduto do grupo Estado Islâmico (EI). Também ataca a província vizinha de Deir Ezzor, sob controle dos extremistas.

Mais de 320.000 pessoas morreram desde o início do conflito na Síria, em março de 2011.

AFP