Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Malala Yousafzai

(afp_tickers)

A vencedora do Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai e o cantor Bono pediram, nesta quinta-feira, que os dirigentes do G20 se comprometam com a educação.

"Contamos com seu ímpeto para se associarem aos dirigentes africanos e melhorar a qualidade, a quantidade e a coordenação do financiamento nacional e internacional da educação", escreveram a ativista paquistanesa e o cantor do U2, cofundador da ONG ONE, em uma carta à chanceler alemã, Angela Merkel, à qual a AFP teve acesso.

A reunião de cúpula do G20 nesta sexta-feira e neste sábado "não pode resolver todos os problemas do mundo, nem no setor da educação", afirma a carta.

"Contudo, ela terá falhado se não criar dinâmica suficiente sobre educação", inclusive na África, que vai dobrar a sua população em 2050 e terá 10 vezes mais jovens do que a União Europeia.

O manifesto defende a criação de um mecanismo internacional de financiamento para a educação (IFFEd) para captar os nove bilhões de euros anuais que, segundo os seus cálculos, são necessários para assegurar educação no mundo todo.

Malala e Bono destacam, sobretudo, a importância da educação das meninas. Segundo um estudo recente do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), esse passo é crucial para o desenvolvimento econômico dos países.

AFP