AFP

Boris Johnson em 11 de maio de 2017

(afp_tickers)

A União Europeia pode terminar pagando a conta do Brexit ao Reino Unido, e não o contrário, disse neste sábado o ministro britânico das Relações Exteriores, Boris Johnson, em uma entrevista ao jornal The Daily Telegraph.

"Sim, acredito que há argumentos muito bons", respondeu Johnson sobre se acreditava que os britânicos podiam terminar recebendo um pagamento.

Esta ideia vai totalmente contra a posição da União Europeia, que quer apresentar a Londres, no início das negociações, uma fatura global com seus compromissos financeiros nos diferentes programas e fundos europeus.

A conta chega a entre 40 e 60 bilhões de euros do lado europeu e pode inclusive alcançar 100 bilhões, segundo os cálculos do jornal britânico Financial Times, depois de novas petições da França e da Alemanha sobre os subsídios agrícolas.

O governo britânico anunciou imediatamente que não pagaria tal soma. Em sua entrevista ao The Daily Telegraph neste sábado, Boris Johnson classificou estes números de absurdos.

"Vão dessangrar este país com sua fatura", criticou o ministro, ameaçando abandonar a mesa de negociações "sem pagar absolutamente nada".

Johnson, um dos principais líderes da campanha pelo Brexit, acrescentou que era a UE que poderia terminar desembolsando o dinheiro. "Há ativos que compartilhamos, que pagamos durante anos e será preciso fazer um cálculo adequado destes ativos", explicou.

Johnson também denunciou as "técnicas de negociação brutais de Bruxelas".

As tensões são quase diárias entre Londres e Bruxelas com a chegada das eleições legislativas antecipadas no Reino Unido, em 8 de junho, e o início das negociações sobre o Brexit imediatamente depois.

AFP

 AFP