Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Combatentes da Frente Al-Nosra no campo de refugiados palestinos de Yarmuk, ao sul de Damasco

(afp_tickers)

A Frente Al-Nosra, braço sírio da Al-Qaeda, divulgou um vídeo no qual é possível observar integrantes das forças de segurança libanesas sequestrados e no qual pede ao movimento Hezbollah que retire seus combatentes da Síria.

Os nove homens, que pelas roupas seriam oito policiais e um soldado, estão entre os 24 membros das forças de segurança sequestrados pelos jihadistas durante confrontos com o exército libanês no início de agosto perto da fronteira.

O vídeo, divulgado em sites islamitas, mostra os homens sentados diante de uma bandeira preta com o logotipo da Al-Nosra.

Os homens alegam falar de maneira livre, mas os reféns utilizam uma linguagem própria da Al-Nosra e de outros grupos sunitas extremistas. Eles chamam de "partido de Satã" o movimento xiita libanês Hezbollah (que em árabe significa Partido de Deus).

Pedem a seus familiares que organizem manifestações e bloqueiem as estradas no Líbano para protestar contra a intervenção militar do Hezbollah na Síria, onde o grupo luta contra a rebelião ao lado do regime de Bashar al-Assad.

Um deles afirma que os reféns morrerão, caso as famílias não passem à ação.

AFP