Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente Michel Temer, em Brasília, em 21 de março de 2017

(afp_tickers)

O governo brasileiro projetou nesta sexta-feira que o déficit do setor público chegará a 1,8% do PIB em 2018, muito acima do 1,1% estimado inicialmente, por uma menor arrecadação.

O resultado fiscal primário - antes do pagamento dos juros da dívida - foi estimado agora em 131,300 milhões de reais (aproximadamente 41,735 bilhões de dólares no câmbio atual), de um anterior de 79 bilhões, em outra sinal das dificuldades que o país enfrenta para sair da pior recessão de sua história.

Meirelles garantiu que o Brasil já dá sinais de estar abandonando a crise e deixará um rombo fiscal em 2020 e afirmou que em 2017 a inflação será de 4,3%, abaixo do centro da meta (4,5% com uma margem de tolerância de um ponto e meio) e em 2018 será de 4,5%.

Durante a apresentação das chamadas "diretrizes orçamentárias", Meirelles afirmou que a taxa de juros média de 2018 será de 9%, inferior à de 12,25% vigente. Esse nível deverá ser mantido até 2020.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP