Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O valor exato do assalto em Ciudad del Este, 330 km de Assunção, foi de 11.720.255 dólares, informou a Prosegur em relatório entregue à Promotoria

(afp_tickers)

Autoridades de Brasil e Bolívia concordaram em planejar operações fronteiriças permanentes, com o objetivo de lutar contra o crime organizado, disse neste sábado um ministro boliviano, após um encontro entre autoridades dos dois países para avaliar roubos de valores.

"Nos próximos dias haverá um plano operacional sincronizado permanente entre os governo da Bolívia e do Brasil, com o firme compromisso de lutar contra o crime organizado", assinalou o ministro boliviano do Governo, Carlos Romero, segundo um comunicado de sua assessoria de imprensa.

Romero se reuniu na noite de sexta-feira no país andino com autoridades do Mato Grosso, o chefe da Polícia Militar, Waldir Ribeiro, e o secretário de Segurança Pública, José Carlos Barbosa, para avaliar o roubo de duas transportadoras de valores na Bolívia e no Paraguai.

No fim de março, um grupo de criminosos assaltou um veículo da transportadora Brinks em Santa Cruz, na Bolívia, levando uma quantia de 700.000 dólares.

Quase um mês depois, no Paraguai, outro veículo, mas da transportadora Prosegur, foi atacado e oito milhões de dólares foram roubados.

Em ambos os casos, as polícias dos dois países responsabilizaram o Primeiro Comando da Capital (PCC). A Bolívia também detectou ações do Comando Vermelho (CV).

Brasil e Bolívia dividem uma fronteira de 3.400 km, por onde flui um forte tráfico de armas, drogas e automóveis roubados.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP