Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ministro brasileiro da Saúde, Ricardo Barros (E), o ministro de Desenvolvimento Social, Osmar Terra (3E), e a ministra de Saúde Pública e População do Haiti, Marie-Greta Roy Clément (C), em Porto Príncipe, em 23 de junho de 2017

(afp_tickers)

Os Ministérios brasileiro e haitiano de Saúde assinaram nessa sexta-feira em Porto Príncipe um novo acordo de cooperação de 20 milhões de dólares.

O acordo coincide com o final de um programa de ajuda humanitária integrado por Brasil, Cuba e Haiti, que permitiu a construção de três hospitais comunitários na área metropolitana da capital após o terremoto de 2010.

Esses 20 milhões de dólares garantirão nos próximos três anos o funcionamento desses centros, assim como a construção na cidade de Jeremie (sudeste do país) de um centro cirúrgico em um hospital parcialmente destruído pelo furacão Matthew em outubro de 2016.

O Brasil também doou ao Haiti 15.000 doses de vacina antirrábica.

O hospital em que as autoridades haitianas se reuniram com as brasileiras e cubanas foi batizado com o nome de Zilda Arns, pediatra brasileira reconhecida internacionalmente por seu trabalho com os mais desfavorecidos e que morreu no terremoto que arrasou o Haiti em janeiro de 2010.

AFP