Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão Europeia, fala com a imprensa em Bruxelas, em 7 de junho de 2017

(afp_tickers)

A França seria um dos principais beneficiárias de um acordo comercial entre União Europeia e Mercosul, se ele se concretizar, estimou nesta segunda-feira (13) o vice-presidente da Comissão europeia, Jyrki Katainen.

"Segundo nossos cálculos e dados, a França seria um dos maiores beneficiários desse eventual acordo. Isso daria oportunidades à indústria francesa e também a seu setor agrícola", alegou Katainen à imprensa em Bruxelas.

A França está especialmente preocupada com as ofertas feitas pela Comissão ao bloco latino-americano, formado por Brasil, Argentina Paraguai e Uruguai, sobretudo acerca da exportação de carne bovina e etanol à UE, em troca de expandir as oportunidades ao setor automobilístico europeu na América do Sul.

"Compreendemos perfeitamente essa questão da carne bovina e do etanol e devemos encontrar uma solução", afirmou Katainen, sublinhando que ainda era "cedo demais" para definir as medidas específicas para compensar setores potencialmente afetados pelo acordo de livre-comércio.

Katainen novamente previu o anúncio de um acordo até o fim deste ano.

"Todo mundo diz que o 'timing' é muito importante, porque no ano que vem, o Brasil, por exemplo, ficará ocupado com suas eleições e será difícil continuar as negociações", resumiu.

A próxima rodada de negociações acontece no fim do mês em Bruxelas.

UE e Mercosul querem chegar a um acordo, pelo menos político, no mês que vem, em Buenos Aires, na reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP