Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A descoberta de um câncer contagioso que se espalha entre moluscos comestíveis na costa nordeste dos Estados Unidos e do Canadá tem deixado os cientistas perplexos

(afp_tickers)

A descoberta de um câncer contagioso que se espalha entre moluscos comestíveis na costa nordeste dos Estados Unidos e do Canadá tem deixado os cientistas perplexos e levantou questões sobre a saúde da vida marinha, de acordo com um estudo divulgado quinta-feira.

A pesquisa, publicada na revista Cell, descreve pela primeira vez o tipo incomum de leucemia que tem matado incontáveis ​​vôngoles há anos.

"Estamos muito surpresos", disse o pesquisador Stephen Goff, que estuda leucemia em roedores no Centro Médico da Universidade de Columbia, em Nova York.

Goff abordou a questão depois que um biólogo marinho pediu, em 2009, que ele investigasse se um vírus era o responsável pela doença dos vôngoles.

O tipo de vôngole afetado por esta leucemia é conhecido como marisco de casca mole ("Mya arenaria"). Goff diz que não há risco de que os seres humanos contraiam câncer por comer mariscos doentes.

A maioria das formas de câncer começam com a mutação de uma célula do corpo. No entanto, quando Goff e seus colegas estudaram os mariscos coletados no Maine, estado de Nova York, e na ilha Prince Edward, no Canadá, descobriram que as células leucêmicas não correspondiam a qualquer uma das células dos vôngoles individuais.

E, no entanto, todos os casos de leucemia eram quase idênticos. Isto sugere uma linha de células cancerígenas que está passando de um molusco para outro.

"A chave é que quando analisamos os genótipos dos tumores nos vôngoles, os tumores não correspondiam ao animal hospedeiro em que estavam crescendo", disse Goff à AFP.

"É muito estranho. Então, quando examinamos amostras de tumores na Costa Leste, eles eram quase idênticos (...) Surpreendentemente, a conclusão é de que esta é uma linha de tumor que está se espalhando de animal para animal".

Só se sabe da existência de dois tipos de câncer contagioso em mamíferos. Um deles é um tumor facial entre os demônios da Tasmânia; o outro é um câncer que é transmitido entre os caninos.

Mas agora há novas perguntas: Há quanto tempo os vôngoles sofrem com esse tipo de câncer? O que faz com eles, o quão comum ele é? Pode se espalhar para outras espécies? Qual o papel da poluição?

Os cientistas ainda não têm respostas.

AFP