Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem cedida em 24 de outubro de 2017 pela empresa Blue Water Recoveries mostra o mais antigo astrolábio náutico

(afp_tickers)

Um caçador de tesouros instalado no Reino Unido afirma ter encontrado o astrolábio náutico mais antigo até hoje, um instrumento de navegação que guiou exploradores portugueses em uma perigosa viagem à Índia no início do século XVI.

David Mearns encontrou o disco de bronze de 17,5 cm de diâmetro enquanto mergulhava entre os restos de um barco em frente à costa de Omã em 2014, mas a Universidade de Warwick acaba de identificar o objeto após escaneá-lo, explicou à AFP.

"O escaneador revelou gravações ao redor da borda do objeto, separadas por cinco graus, demonstrando que se tratava de um astrolábio. Essas marcas teriam permitido aos marinheiros medir a altura do sol acima do horizonte ao meio-dia para determinar a sua latitude e encontrar a rota em alto-mar", indicou a universidade em comunicado.

"Foi fantástico usar nossos escaneadores 3D para um projeto tão emocionante e ajudar a identificar um objeto tão raro e fascinante", disse o professor Mark Williams, que fez as análises.

"Quando o vi, soube logo que era um objeto muito importante. Vi um escudo de armas real nele", explicou David Mearns. "É o astrolábio náutico mais antigo", segundo este americano, que vive no Reino Unido, que o situa entre os anos 1496 e 1500, aproximadamente três décadas mais velho que o astrolábio anterior mais antigo.

A empresa de Mearns, Blue Water Recoveries, encontrou os restos do barco em 1998, mas esperou até 2013 para estudá-lo em colaboração com o Ministério da Cultura de Omã.

Segundo Mearns, o barco naufragado se chama "Esmeralda" e participou da segunda expedição de Vasco da Gama para a Índia, em 1502-1503, cujo capitão era o tio do explorador.

Vasco da Gama foi o primeiro europeu a chegar à Índia por mar em 1498, descoberta que abriu o caminho para um período de colonização e comércio entre Europa e Ásia.

O astrolábio leva o emblema pessoal do rei Manuel I de Portugal, que chegou ao trono em outubro de 1495.

"Os portugueses estavam na vanguarda para desenvolver astrolábios. A mais antiga referência ao seu uso no mar se remonta a aproximadamente 1480", assinalou Mearns.

O astrolábio descoberto por ele se encontra no Museu Nacional de Omã.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP