Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bombardeiro americano B-1B na base aérea de Andersen, em Guam, em 7 de julho de 2017

(afp_tickers)

Bombardeiros americanos realizaram neste sábado (8) na Coreia do Sul um exercício de tiro, visto como um teste de força, ao voar perto da fronteira intercoreana, dias depois de Pyongyang realizar um teste de míssil, informou o ministério da Defesa sul-coreano.

Durante este exercício incomum, duas aeronaves B-1B estacionadas na base aérea de Andersen, em Guam, aproximaram-se da fronteira terrestre e marítima com a Coreia do Norte, antes de retornarem, informou a agência de notícias Yonhap.

O exercício teve como objetivo "reagir duramente à série de lançamentos de mísseis balísticos pela Coreia do Norte", declarou o ministério sul-coreano em um comunicado.

Quatro caças americanos e sul-coreanos participaram deste exercício, que aconteceu no condado de Yeongwol, 80 km ao sul da fronteira intercoreana, segundo a mesma fonte.

O exercício simulou a destruição pelos caças americanos de baterias de mísseis inimigas, enquanto os aviões sul-coreanos realizaram uma série de bombardeios de alta precisão contra postos de comando subterrâneos inimigos.

"Através deste exercício, as forças aéreas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos mostraram a sua determinação em punir o inimigo severamente por seus atos de provocação, e sua capacidade de pulverizar os postos de comando inimigo", indica o comunicado.

A Coreia do Norte realizou na terça-feira seu primeiro lançamento de míssil balístico intercontinental (ICBM), dia do feriado nacional dos Estados Unidos, considerado um sucesso pelo regime de Pyongyang, que tenta desenvolver sua capacidade de ameaçar o território americano.

Na sexta-feira, a Agência de Defesa de Mísseis (MDA) dos Estados Unidos afirmou que em breve testará um sistema de defesa contra mísseis balísticos, projetado para interceptar e destruir mísseis balísticos de curto e médio alcance durante a fase final de voo.

AFP