Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Em dezembro de 2016, os clientes britânicos bateram um recorde absoluto de retiradas

(afp_tickers)

Há 50 anos, e pela primeira vez em todo o mundo, uma máquina liberava dinheiro em uma rua de Londres: nascia o caixa eletrônico, equipamento que sobreviveu à popularidade dos pagamentos com cartão.

Em 27 de junho de 1967, o comediante inglês Reg Varney sacava a primeira nota de um caixa eletrônico. A imagem desse rosto familiar entre os britânicos ajudou a popularizar essa máquina estranha, criada por John Shepherd-Barron.

A pedido do banco britânico Barclays, Shepherd-Barron inventou e fabricou seis distribuidores de cédulas. O primeiro deles foi instalado em Enfield, no norte da capital britânica.

O surgimento desta máquina permitiu aos clientes dispor de dinheiro a qualquer momento, sem enfrentar filas nos bancos. Rapidamente, espalhou-se pelo mundo.

No começo, os clientes precisavam de um vale expedido pelo banco para retirar o valor em espécie. Em breve, já nos anos 1970, chegariam os cartões e as senhas.

"Embora, nos últimos anos, se tenha visto um decolar impressionante do banco on-line e dos pagamentos on-line, o dinheiro vivo continua sendo parte da vida cotidiana: seja para fazer compras, seja para pagar um café", afirmou o responsável pelo setor de relacionamento com clientes do Barclays, Raheel Ahmed.

Em dezembro de 2016, os clientes britânicos bateram um recorde absoluto de retiradas, sacando nos caixas eletrônicos - em um único dia - cerca de 730 milhões de libras (algo em torno de US$ 930 milhões).

AFP