Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O premier do Camboja, Hun Sen

(afp_tickers)

O primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, lançou nesta sexta-feira (11) um ultimato a seu vizinho Laos para que retire cerca de 30 soldados estacionados no "seu" lado da fronteira, comparando a incursão a uma "invasão".

"Faço um apelo ao primeiro-ministro do Laos, Thongloun Sisoulith, para que retire suas tropas do território cambojano", declarou Hun Sen, dando-lhe seis dias de prazo para recuar - até 17 de agosto.

Desde abril, pelo menos 30 soldados atravessaram a fronteira cambojana na província de Stung Treng, segundo Phnom Penh.

"Somos amigos, mas um amigo não pode pisar na nossa cabeça", acrescentou Hun Sen, que denunciou uma "invasão" e chegou a anunciar a mobilização de soldados cambojanos, equipados com lança-foguetes, para a área em questão.

Camboja e Laos compartilham uma fronteira de 540 quilômetros, mas alguns trechos não estão claramente delimitados. A porosidade dessa fronteira é conhecida pelos traficantes de droga que passam carregamentos - sobretudo de metanfetaminas e heroína - do Laos para o Camboja.

AFP