Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A nave submarina construída pelo cineasta e explorador James Cameron, diante do Museu História Natural em Nova York

(afp_tickers)

O cineasta James Cameron apresentou nesta segunda-feira o documentário 3D "Deepsea Challenge", sobre sua imersão solitária em 2012 na parte mais profunda do oceano Pacífico.

"Sou um primata curioso e preciso ver as coisas com meus próprios olhos", disse o diretor canadense de 59 anos, em referência à aventura que o levou num submarino até a zona mais profunda conhecida do oceano, situada a 10.898 metros, na Fossa das Marianas, em 26 de março de 2012.

A exibição do filme, para cerca de mil pessoas, ocorreu no cinema Lefrak do Museu Americano de História Natural, em Nova York. Cameron, diretor de "Titanic" e "Avatar", foi ovacionado pela plateia.

O documentário "Deepsea Challenge" traça todos os passos do projeto de Cameron: desde seus sonhos de criança e a concepção do submarino, desenhado por ele mesmo e construído em Sydney, até a expedição final, passando por todas as etapas de testes que foram necessárias.

O veículo foi equipado com uma série de lâmpadas LED de 2,4 metros e câmeras de alta definição em 3D, cujas imagens foram utilizadas no filme.

"Incrível, é como a Lua", disse Cameron ao ver o espetáculo desolador do fundo da zona conhecida como o abismo Challenger (Challenger Deep), no sudoeste das ilhas norte-americanas Guam.

O cineasta, ilhado numa pequena cabine dentro do submarino, passou três horas no solo marinho recolhendo amostras para investigações científicas e imagens em movimento.

O filme tem duração de 90 minutos e foi realizado em parceria com a National Geographic. "Deepsea Challenge" estreia nas salas de cinema norte-americanas nesta sexta-feira.

AFP