Navigation

Candidato defende auditoria eleitoral no Afeganistão

O secretário de Estado americano John Kerry (D) e o candidato à presidência do Afeganistão Ashraf Ghani (E) durante encontro na embaixada dos Estados Unidos em Cabul afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. julho 2014 - 10:04
(AFP)

O candidato à presidência afegã Ashraf Ghani, que venceu o segundo turno da eleição de acordo com os resultados preliminares, afirmou nesta sexta-feira que respalda uma auditoria exaustiva sobre a suposta fraude eleitoral denunciada por seu adversário Abdullah Abdullah.

Em um encontro com o secretário de Estado americano John Kerry, Ghani afirmou que ele e seus eleitores desejam a garantia de que o processo eleitoral foi "íntegro e legítimo".

"Apoiamos uma auditoria o mais exaustiva possível para recuperar a confiança", disse.

Ghani foi declarado vencedor das eleições, segundo os primeiros resultados, com 56,4% dos votos. Mas Abdullah denunciou fraudes a favor do rival.

Abdullah, que venceu o primeiro turno celebrado em 5 de abril com ampla margem, declarou vitória e pediu uma auditoria por suspeitas de fraude.

Durante a visita a Cabul, John Kerry afirmou que o futuro do Afeganistão está ameaçado pela disputa eleitoral.

"A legitimidade eleitoral está na balança. O potencial futuro de uma transição está na balança", disse Kerry.

"Evidentemente estamos em um momento muito crítico para o Afeganistão", completou o secretário de Estado.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.