Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma mãe e seu filho, durante as comemorações de 241 anos da fundação da capital da Guatemala, no dia 14 de agosto de 2017

(afp_tickers)

Milhares de guatemaltecos saíram nesta terça-feira (15) em procissão para comemorar a festa da padroeira da capital em homenagem à Virgem da Assunção e aos 241 anos de sua fundação, com a tradicional Feira de Jocotenango.

Desde o início da manhã, a imagem da Virgem vestida em tons de café, azul e dourado percorreu as ruas e avenidas do centro histórico da cidade.

Durante a procissão, devotos católicos colocaram belos tapetes adornados com serragem colorida e flores à espera da passagem da imagem da Virgem, transportada nos ombros por dezenas de fiéis.

A extensa procissão, acompanhada por bandas formadas por estudantes e nuvens aromáticas de incenso, agradou também dezenas de vendedores ambulantes.

O arcebispo metropolitano, Óscar Vian, ficou responsável pela homilia na Catedral da cidade, na qual os fiéis chegaram após percorrerem o trajeto da procissão.

O hierarca católico criticou as condições de pobreza e a onda de violência que atinge o país, deixando cerca de 6.000 mortos anualmente.

"Nos dói nas entranhas ver o sangue de nossos irmãos ser derramado, simplesmente por causa de um celular, pela falta de um remédio ou de alimento", declarou o arcebispo.

Paralelamente à celebração religiosa, milhares de cidadãos da Guatemala enchem o Hipódromo do Norte, onde há parques de diversão e barraquinhas de comida com pratos típicos em comemoração pela fundação da capital.

Nova Guatemala da Assunção, hoje chamada Cidade da Guatemala, foi fundada a partir de decisão feita pelo rei Carlos III da Espanha, no Valle de las Vacas, em 1776, três anos após a destruição de Santiago, hoje chamada de antiga Guatemala, causada por dois terremotos ocorridos em 1773.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP