Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cardeal australiano George Pell, em entrevista coletiva em 29 de junho de 2017, na Cidade do Vaticano, para falar de seu afastamento

(afp_tickers)

O chefe das Finanças do Vaticano, Cardeal George Pell, retornou à Austrália neste domingo (segunda-feira pelo horário local) para uma audiência no final deste mês sobre acusações históricas de abuso sexual.

O cardeal de 76 anos pousou em Sydney e foi acompanhado por seguranças antes de ser levado para um carro que o aguardava, sem fazer fazer comentários.

Pell foi comparecerá a um tribunal de Melbourne em 26 de julho para uma audiência preliminar sobre várias acusações de agressão sexual supostamente cometidas décadas atrás, quando ele era um clérigo sênior na Austrália.

O ex-arcebispo de Sydney e Melbourne sempre defendeu sua inocência, negando as acusações. Os detalhes das acusações não foram divulgados, embora a polícia tenha dito que eles envolveram "autores de denúncias múltiplas".

"Estou ansioso para finalmente ter meu dia no tribunal. Eu sou inocente dessas acusações", disse Pell, considerado não oficialmente o número três na hierarquia do Vaticano, depois de ter sido acusado no final do mês passado.

"Elas (as acusações) são falsas. Toda a ideia de abuso sexual é abominável para mim", disse.

Pell recebeu uma licença do Papa Francisco, que deixou claro que o cardeal não seria forçado a se demitir do cargo no Vaticano.

AFP