Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Maio) O presidente francês condecora o cardeal cubano Jaime Ortega com a ordem de Comendador da Legião de Honra, na embaixada francesa em Havana

(afp_tickers)

O cardeal cubano Jaime Ortega Alamino disse que entregou ao governo de Raúl Castro pedidos de soltura de presos, ante um possível indulto durante a visita do Papa Francisco este mês.

Francisco visitará Cuba de 19 a 22 deste mês e se converterá no terceiro papa a chegar à ilha em 17 anos, depois de João Paulo II em 1998 e Bento XVI, em 2012.

"Não sei se haverá anistia ou não, se ela existir, isso é algo que depende da liberdade do estado cubano", disse o cardeal em uma incomum entrevista à televisão estatal.

Afirmou que as causas fundamentais das condenações às quais os pedidos se referem são por "crimes econômicos" ou outras faltas comuns, e em menor medida por motivos políticos.

Lembrou que o governo comunista realizou em várias ocasiões a libertação de presos a pedido da Igreja, como na década de 80, quando libertou 1.000 a pedido da Igreja dos Estados Unidos.

Também ocorreram indultos por ocasião das visitas papais, com quase 3.000 presos liberados antes da visita de Bento XVI e 135 políticos soltos entre 2010 e 2011, como resultado do diálogo entre os bispos cubanos e o presidente Raúl Castro.

AFP