Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reprodução de vídeo) A ISS em órbita da Terra

(afp_tickers)

O quinto e último cargueiro automático europeu, o ATV Georges Lemaitre, acoplou nesta terça-feira com a Estação Espacial Internacional (ISS), a 410 km da Terra.

"Era o quinto e último cargueiro de tipo ATV, e como todos os anteriores (o acoplamento) foi realizado com êxito", declarou a diretora de voos do Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES) a partir do centro de controle de Toulouse, no sul da França.

O cargueiro sem tripulação e do tamanho de um ônibus de dois andares londrino havia sido lançado ao espaço no dia 30 de julho por um foguete Arianne a partir da Guiana francesa.

O ATV permanecerá acoplado durante um período de seis meses como módulo adicional para os seis astronautas que se encontram a bordo da ISS.

Seus ocupantes são neste momento três russos (Oleg Artemyev, Alexander Skvortsov e Max Suraev), dois americanos (Steve Swanson e Reid Wiseman) e um alemão (Alexander Gerst).

Gerst, da Agência Espacial Europeia (ESA), supervisionará o descarregamento de quase 6,6 toneladas das mercadorias, que inclui 850 litros de água potável, o maior volume transportado até agora ao espaço, e três toneladas de combustível.

A aeronave também levou 2,6 toneladas de alimentos, 50 quilos de café, roupas - não há máquina de lavar na Estação - e equipamentos de pesquisa, entre outros.

Ao fim de sua missão, no início de 2015, o cargueiro "Georges Lemaitre", batizado pelo físico belga pai da teoria do Big Bang, será abastecido com os resíduos não perigosos produzidos a bordo da estação.

Depois se desprenderá da ISS e será enviado à atmosfera terrestre, na qual todo o material e o próprio cargueiro se desintegrarão.

A ESA terminará então com sua contribuição ao programa da ISS, o que, segundo a própria agência, tem um custo de 4,2 bilhões de euros.

A tecnologia desenvolvida para o ATV não desaparecerá com o fim desta participação. A mesma contribuirá, em particular, na construção do módulo de serviço para a cápsula Orion, da Nasa americana, destinada a transportar astronautas à Lua até 2017/2018.

AFP