Navigation

Carlos Bolsonaro ataca Mourão

(Arquivo) O vice-presidente Hamilton Mourão afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. abril 2019 - 22:30
(AFP)

Carlos Bolsonaro, um dos filhos de Jair Bolsonaro, elevou esta semana suas críticas ao vice-presidente, Hamilton Mourão, insinuando que o general busca debilitar o presidente.

Vereador no Rio de Janeiro, Carlos fez duas críticas no Twitter ao general Mourão e republicou versões de que o vice-presidente estaria organizando uma base "paralela" no Congresso.

"General Mourão é traidor?" - pergunta o vídeo de um 'youtuber' de extrema direita compartilhado por Carlos Bolsonaro nesta quarta-feira no Twitter.

"Fontes do Palácio do Planalto disseram que poucas vezes detectaram tanta ambição presidencial em alguém como o vice-presidente Mourão", afirma outro tuíte de um usuário identificado como "Doc Holliday", também republicado por Carlos Bolsonaro.

O filho do presidente, cujo apelido é "pitbull" por sua atitude de proteção ao pai, se refere em outras publicações ao vice como "o tal Mourão" e "o queridinho da imprensa", e o acusa Eter uma estranha ligação com "políticos que detestam o presidente".

A tensão se acentuou após as críticas do filósofo Olavo de Carvalho, considerado o 'guru' ideológico de Bolsonaro, contra Mourão e os militares que integram o governo.

"Senhor Presidente: Só comecei a reclamar do Mourão porque ele ofendeu gravemente V. Ex.ª várias vezes. O país inteiro sabe disso", escreveu Olavo de Carvalho.

Bolsonaro afirmou na terça-feira, por intermédio do porta-voz da presidência, que deseja colocar um "ponto final" na discussão entre Mourão e Carlos, mas não deixou de apoiar o filho.

"De uma vez por todas, o presidente gostaria de deixar claro o seguinte: quanto a seus filhos, em particular ao Carlos, o presidente enfatiza que ele sempre estará a seu lado. O filho foi um dos grandes responsáveis pela vitória nas urnas, contra tudo e contra todos", declarou o porta-voz Otávio Rego Barros.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.