Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do incêndio da Torre Grenfell, no carnaval em Notting Hill, no dia 27 de agosto de 2017

(afp_tickers)

Notting Hill se enfeitou de verde neste domingo para celebrar o tradicional Carnaval deste bairro do oeste de Londres, que este ano presta uma homenagem às vítimas do incêndio da Torre Grenfell.

Dezenas de voluntários participaram nas tarefas de organização da festa, considerada a maior manifestação de rua da Europa.

Estes voluntários se reuniram em um prédio transformado em centro de arrecadação de doaçõespara as vítimas do incêndio da torre de apartamentos sociais, em 14 de junho. Oitenta pessoas morreram e centenas acabaram nas ruas do bairro turístico, onde casas milionárias se misturaram com conjuntos habitacionais.

"O verde é uma cor magnífica, é a cor da cura, do crescimento e da força ante a adversidade", explica à AFP Toby Laurent Belson, um dos coordenadores do centro, onde se acumulam roupas e donativos para os flagelados.

"O objetivo é fazer que o Carnava seja totalmente verde. As pessoas podem colocar nas janelas, nas portas. A questão é colocar algo que recorde que o aconteceu e mostre solidariedade", destaca.

A cor verde se converteu no símbolo da Torre Grenfell depois que as escolas adjacentes a usaram pasra prestar homenagem às vítimas.

Mas o chamado por voluntários para confeccionar a decoração mobilizou muito mais pessoas que as esperadas, graças às redes sociais. Para todos, é uma tentativa de superar a revolta contra as autoridades públicas, consideradas culpadas pela tragédia por sua indiferença.

"É uma oportunidade para as diferentes comunidades oferecerem sua ajuda e se unirem", afirma Swarzy Macaly, uma apresentadora de rádio de 24 anos.

O Carnaval com tonalidades caribenhas, inaugurado nos 1960 em função dos violentos distúrbios raciais entre brancos e imigrantes do Caribe, é visto como a resposta adequada.

"O carnaval nasceu do sofrimento e a beleza do carnaval é sua capacidade de protestar e celebrar. É o que vamos fazer este ano", insiste Ursula Parvex, uma professora de 37 anos.

"Estamos celebrando a Londres multicultural, como a Torre Grenfell, onde se falava mais de 34 idiomas", explica a pintora Sabrina Rowal Hamilton.

Momentos mais solenes também marcarão o Carnaval, que reúne milhares de pessoas durante dois dias.

Manter um minuto de silêncio e uma área para orações são elementos previstos para o desfile deste ano.

As fitas que ornamentam as árvores, os sinais de trânsito e os imóveis próximos à Torre Grenfell serão, por sua vez, da cor amarela, para simbolizar as pessoas desaparecidas na tragédia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP