Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano Barack Obama, em Washington, DC, no dia 11 de maio de 2015

(afp_tickers)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não descarta uma viagem a Cuba, embora esta possibilidade não esteja em seus planos imediatos, disse nesta segunda-feira uma alta fonte da Casa Branca.

O porta-voz, Josh Earnest, foi consultado sobre a possibilidade de Obama visitar Cuba, como fez nesta segunda-feira seu contraparte francês, François Hollande, e disse que "não o descartaria".

"Penso que o presidente indicou que não vê uma viagem a Cuba no futuro próximo. Mas certamente não o descartaria durante o próximo ano", afirmou.

O porta-voz lembrou que existe "um esforço diplomático em andamento para tentar normalizar as relações entre Estados Unidos e Cuba. E ainda há um importante trabalho diplomático que deve ser levado adiante".

Os dois países anunciaram, em 17 de dezembro passado, a decisão de avançar para o restabelecimento das relações diplomáticas e acordar a reabertura de suas embaixadas o mais rapidamente possível.

Obama antecipou ainda que a Casa Branca impulsionaria o fim do embargo econômico e comercial imposto a Cuba há 50 anos, mas as iniciativas enfrentam uma forte resistência de parte do opositor Partido Republicano, que controla as duas câmaras do Congresso americano,

Em um gesto histórico, Obama e o presidente cubano, Raúl Castro, se reuniram durante a Cúpula das Américas, celebrada no mês passado no Panamá.

Segundo Earnest, Obama "aproveitou a oportunidade que teve de manter uma conversa direta com o presidente Castro sobre os passos adicionais" que a Casa Branca quer ver do lado cubano, em especial no campo dos direitos humanos.

AFP