Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Vista da Cidade do Panamá

(afp_tickers)

Os americanos William Holbert, ou "Wild Bill", e Laura Michelle Reese foram condenados no Panamá a longas penas de prisão por assassinato e roubo de propriedade de compatriotas - informou a Justiça do país centro-americano.

Holbert foi condenado a 47 anos, e Reese, a 26 anos depois de terem protagonizado, em 2010, uma fuga digna de um filme de cinema.

Segundo as acusações, "Wild Bill" estabelecia amizade com estrangeiros ricos, a quem oferecia a compra de imóveis, mas depois os assassinava e enterrava no jardim de seu hotel Villa Cortez na província de Bocas del Toro, no Caribe panamenho.

William Holbert era um admirador de Adolf Hitler e, durante as buscas em seu hotel, encontraram dentes de ouro que podem ser de suas vítimas.

Laura Michelle Reese era sua esposa, de quem se separou.

Holbert chegou a pedir clemência em uma carta escrita à imprensa local e se disse totalmente arrependido.

"Peço ao povo panamenho que lembre que nunca em minha vida prejudiquei um cidadão panamenho, nunca matei um panamenho. Meus crimes eram contra a comunidade estrangeira", alegou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP