Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Urna que será usada no referendo catalão é apresentada em Barcelona no dia 29 de setembro

(afp_tickers)

O governo separatista catalão assegurou nesta sexta-feira que tem previstos mais de 2.300 centros de votação para que no domingo os habitantes da Catalunha, no nordeste da Espanha, possam participar no referendo de autodeterminação proibido pela justiça espanhola.

"Os pontos para votar em todo o território ao final serão 2.315 colégios eleitorais", anunciou em coletiva de imprensa em Barcelona o porta-voz do Executivo regional Jordi Turull. "São convocados a votar um total de 5.343.358 catalães que têm este direito de voto", acrescentou.

O Tribunal Constitucional, ao qual o governo conservador espanhol de Mariano Rajoy recorreu para impedir a consulta, proibiu este referendo. E uma juíza de Barcelona ordenou a polícia fechar todos os centros de votação.

No entanto, segundo o vice-presidente do governo catalão, Oriol Junqueras, os separatistas têm planos de contingência.

"Se alguém fechar um colégio, há alternativa para que os cidadãos votem", disse sem mais detalhes.

Esta é a primeira vez que os separatistas revelem alguns detalhes desta votação mantida até agora sob sigilo.

Eles mostraram à imprensa uma das urnas - buscadas há semanas pela polícia - que serão utilizadas neste domingo: uma caixa de plástico semitransparente com uma tampa preta por onde as células são depositadas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP