Os altos executivos das grandes empresas americanas ganham 278 vezes mais do que seus funcionários, e a brecha continua aumentando, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira (14).

Em 2018, a média do salário anual dos CEOs (diretores executivos) das 350 maiores empresas dos Estados Unidos foi de 17,2 milhões de dólares, incluindo as opções sobre ações, que normalmente representam dois terços de seus pagamentos, segundo um estudo do Economic Policy Institute (EPI).

A brecha entre eles e os trabalhadores passou de uma relação de 20 a 1 em 1965 para uma de 58 a 1 em 1989, segundo o EPI.

De 1978 a 2018, a remuneração dos diretores executivos aumentou mais de 1.000%, cada vez com mais ações, enquanto o salário dos trabalhadores aumentou pouco menos de 12%.

"Este aumento na remuneração dos CEOs, e dos executivos em geral, alimentou o crescimento de 1,0% e de 0,1% dos rendimentos mais altos. Assim, deixou menos frutos do crescimento econômico para os trabalhadores comuns e ampliou em 90% a diferença entre os que ganham mais e os que ganham menos", disse o estudo.

"A economia não sofreria nenhum dano se os CEOs ganhassem menos (ou pagassem mais impostos)".

Além disso, o estudo disse que a inflação salarial "não reflete um aumento das habilidades, mas o uso que os CEOs fazem de seu poder para fixar seu próprio salário. E este poder crescente no topo vem impulsando o aumento da desigualdade em nosso país".

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.