AFP

(2015) Apresentação da Cepal em Santiago

(afp_tickers)

O movimento de contêineres em portos da América Latina e do Caribe caiu 0,9% no ano passado, indicando a contínua desaceleração do comércio exterior na região, informou a Cepal nesta terça-feira.

A queda regional do movimento portuário se deve principalmente pela redução da atividade no Brasil (-4,4%), Panamá (-9,1%), Colômbia (-3,6%), Argentina (-6,1%) e Bahamas (-14,3%), disse a Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), em um relatório divulgado em Santiago.

A Cepal destacou uma "grande heterogeneidade no comportamento dos movimentos portuários", nas sub-regiões.

"Em 2016, a Costa Leste da América do Sul teve uma diminuição em sua atividade (-3,7%), mais acentuada do que a registrada em 2015 (-0,7%), devido à maior queda registrada em portos de Brasil e Argentina", aponta o documento.

Enquanto que "a Costa Oeste mostra uma recuperação na atividade de contêineres (4,5%) em comparação com a taxa de crescimento observada em 2015 (0,4%), devido à evolução positiva dos terminais portuários no Chile (4,8%), Peru (8,4%) e Equador (4,5%)", acrescenta o texto.

Na América Central houve uma expansão 2015 de 3,4% a uma queda de 3,5% em 2016, devido à forte contração de Panamá.

Santos no Brasil e os panamenhos Colón e Balboa ocupam o pódio de portos que têm maior tráfego de contêineres na América Latina.

AFP

 AFP