Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Vista de Buenos Aires

(afp_tickers)

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) manteve sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da América Latina em 1,1% para 2017, com a expansão de todas as grandes economias regionais, exceto a Venezuela.

Num relatório apresentado nesta quinta-feira em que se atualizam as projeções de abril, a Cepal informou que "os países da América Latina e do Caribe vão crescer em média 1,1% em 2017, após dois anos seguidos de contração".

A expansão - após uma queda de 1% em 2016, segundo dados atualizados - acontece "graças a um contexto internacional que, apesar dos riscos geopolíticos, mostra melhores expectativas de crescimento e uma melhoria dos preços das matéria-primas que a região exporta", explicou a Cepal.

Diferentemente do ano passado, todos os países da região apresentaram taxas positivas de crescimento, fora a Venezuela, cujo PIB cairia 7,2%, e dois países do Caribe (Santa Lúcia e Suriname), que teriam recuo de 0,2% do PIB.

O Brasil, maior economia da região, deve ter tímida expansão de 0,4% após a abrupta queda de 3,2% registrada no ano passado, enquanto a Argentina vai expandir 2%, após recuo de 2,2% em 2016.

AFP