AFP

(Arquivo) Foto tirada em 20 de outubro de 2016 mostra Chadwick Boseman chegando para a premiere de "Doutor Estranho", em Hollywood

(afp_tickers)

A carreira de Chadwick Boseman transcorreu entre papéis para a televisão e o cinema independente até que, em 2014, ele recebeu um telefonema do grupo Marvel, um uniforme de super-herói e um passaporte para a fama.

Sua aparição em "Capitão América: Guerra Civil" (2016) deu ao ator de 40 anos um gostinho de sua nova vida como celebridade, que irá decolar quando estrear em 2018 "Pantera Negra" e "Vingadores: guerra infinita".

"Honestamente, não estou pronto para esse nível de fama neste momento. Gosto de fazer coisas normais, ir até o mercado, comprar, passar tempo em um restaurante com a minha família", explicou Boseman em entrevista à AFP.

Qualquer relação significativa no processo criativo de um filme da gigante Marvel é sinônimo de sucesso, seja como ator, diretor, escritor ou produtor.

Dois filmes dos "Vingadores" e um do "Homem de Ferro" estão entre os 10 filmes mais rentáveis ​​de todos os tempos, enquanto que todos da Marvel renderam mais de 11 bilhões de dólares.

"Realmente, agora não posso ir a qualquer lugar sem que as pessoas digam: 'Olha o Pantera Negra'. Não sei realmente qual será o próximo nível", confessa Boseman.

"Acredito que para fazer um papel e torná-lo real, você precisa sentir a vida como ela é, de forma regular. Você não se sente bem quando não pode fazer nada, sou totalmente honesto" quanto a isso, acrescentou o ator com raízes em Serra Leoa, filho de uma enfermeira e um estofador.

- Contra os estereótipos -

Boseman também foi aclamado por seu papel como o lendário Jackie Robinson em "42" (2013) e "James Brown: Rei do Soul" (2014).

Pantera Negra é considerado o primeiro super-herói negro, o que é parcialmente verdadeiro, porque desde o início dos anos 1990 houveram cerca de 30 personagens como "Blade" de Wesley Snipes e "Tempestade" de Halle Berry em "X-Men". Mais recentemente, o "Falcão" em "Vingadores: Era de Ultron".

Mas é verdade que T'Challa, o rei e protetor da fictícia nação africana de Wakanda, é o primeiro herói negro a ter seu próprio filme da Marvel, além de ser o primeiro a aparecer em quadrinhos norte-americanos: apareceu em "Quarteto Fantástico" em 1966.

Boseman, que recentemente terminou de filmar "Pantera Negra", disse que tentou evitar alimentar os muitos estereótipos "prejudiciais e que não são verdadeiros" sobre a África.

"Sinto um peso... você não pode estar preocupado com cada respiração, mas tem que investigar e fazer um trabalho para que se sinta honesto", disse ele.

Boseman, que paga para passar incógnito nos cinemas para ver uma reação genuína das pessoas, está em outro projeto que não deverá chamar tanta atenção quanto o herói felino.

Em "Message from the King", de Fabrice du Welz e apresentado em festivais no ano passado e este ano no catálogo da Netflix, interpreta Jacob King, um sul-africano que viaja a Los Angeles para caçar o assassino de sua irmã mais nova.

"Fico emocionado em começar algo e saber que ninguém vai estar dizendo: 'Esse não é Jacob...?'", brincou.

AFP

 AFP