Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ministro brasileiro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (D), cumprimenta o seu contraparte argentino, Jorge Faurie, em Brasília, em 14 de julho de 2017

(afp_tickers)

O Mercosul precisa mostrar compromisso político para levar adiante o acordo comercial com a União Europeia e selar um pacto que está sendo negociado há mais de duas décadas, disse nesta sexta-feira (13) o chanceler argentino, Jorge Faurie, no Brasil.

Cresceram nos últimos meses as expectativas de que se alcance um avanço substancial antes do fim do ano.

"Estamos nos últimos cinco meses. Fizemos um esforço de mais de 22 anos de negociações. Estamos na porta e agora o que temos que mostrar é um grande compromisso político, como vamos demonstrar os quatro países do bloco, para persuadir nossos sócios europeus", disse o diplomata.

Faurie se reuniu em Brasília com seu par, Aloysio Nunes, que também se mostrou otimista acerca de um desenlace positivo para o demorado acordo.

"Agora, graças a uma convergência de situações internacionais e também a uma convergência na visão dos países do Mercosul quanto à necessidade de uma abertura ao mundo poderá se concretizar. Essa é a nossa expectativa", disse.

O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, disse em abril que tinha que acelerar as negociações para fechar o acordo antes de 2018, ainda que a chanceler alemã, Angela Merkel, tenha desconversado pouco depois de participar de duras negociações sobre o setor agrícola.

O Mercosul, também integrado por Uruguai e Paraguai, busca criar com o bloco europeu um mercado de livre-comércio de cerca de 760 milhões de pessoas. As negociações ficaram paradas durante anos, após um intercâmbio de ofertas fracassado em 2004, e foram retomadas em 2010.

AFP